Porque não emagreço?


Quem me acompanha pelo insta ( segue lá @aclpcarla) viu em uma das ultimas postagens que eu tinha ido ao médico, e finalmente tive o diagnóstico do que me impede de emagrecer corretamente. Mas pra vocês entenderem tenho que enrolar um pouquinho hehe.
Bom meninas e meninos, eu sempre fui gordinha, sempre mesmo, até quando estive no menor peso da minha vida, eu ainda estava gordinha, o minimo que cheguei foi 75kg , e pra minha altura isso é uns 10 kg acima do peso, sem contar no efeito sanfona que me persegue.
Então decidi, vamos parar de fuleragem e pegar pesado na academia, procurar uma nutricionista, e seguir uma dieta legal, e sim, eu fiz tudo isso, morri e ressuscitei todos os dias na academia, segui ponto por ponto do que a nutri me falou, e eu não via diferença, e quando uma pessoa que está se esforçando muito, e vê que não tá adiantando, ela larga tudo de mão, e foi o que eu fiz, fiquei triste deprimida e blá blá blá. Até que fui na minha ginecologista, que foi quem fez o parto da minha mãe ( e a carlinha nasceu) ou seja, ela tem meus histórico desde sempre. Pra resumir a história, eu já estava com o diagnóstico pronto desde 2010 , e ainda não estava tomando os remédios que precisava sabe-se lá porque. Bom meninas, eu descobri que tenho síndrome metabólica, ou seja, o meu corpo demora muito mais para queimar calorias, ou seja, sempre tenho uma reserva maior, e sendo assim estou sempre gordinha, pra explicar melhor peguei essa entrevista da Revista Corpore:

"O que é a Síndrome Metabólica?
Considerada como um dos males da vida moderna, a Síndrome Metabólica é um transtorno caracterizado pela presença da obesidade com a associação de três, ou mais, destas doenças: hipertensão arterial, diabetes, aumento de triglicérides e diminuição do HDL (bom colesterol).

Por que a Síndrome Metabólica é tão importante e por que, atualmente, se fala tanto nela?

Porque estudos constataram que há uma forte associação da síndrome com complicações cardiovasculares e, ainda, segundo a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, a Síndrome Metabólica está relacionada a uma mortalidade entre duas a três vezes maior que na população normal. Apesar de no Brasil não haver ainda pesquisas que determinem qual a porcentagem da população é portadora da SM, há evidências clínicas que, assim como em outros países em que já há confirmações científicas, uma grande parte dos adultos brasileiros já são portadores da síndrome.

O que causa a Síndrome Metabólica?

As causas do desenvolvimento dessa síndrome são complexas e não estão completamente esclarecidas, pois há diversos fatores que devem ser levados em consideração. Mas o que já é possível afirmar é que há uma forte relação com a dieta desequilibrada, associada a um estilo de vida sedentário. Além disso, geralmente a SM segue um padrão familiar. É mais comum em negros, indígenas e orientais. Quanto mais velha a pessoa, também maior é a sua chance de desenvolvimento. 

Como ela ocorre?

A síndrome se desenvolve da seguinte forma: a gordura que se acumula no abdome produz substâncias que dificultam a ação da insulina (hormônio produzido pelo pâncreas que controla a taxa de açúcar no sangue). Isso favorece o aumento de peso, o desenvolvimento do diabetes tipo 2 e da hipertensão arterial, a diminuição da quantidade de HDL e a elevação dos triglicérides. Como resultado, tem-se o aumento do risco das doenças cardiovasculares, que podem ser fatais. 

Quais os sintomas da SM?

A SM é o que chamamos de doença silenciosa, porque, geralmente, seus componentes são inimigos ocultos que não provocam sintomas. Isso, infelizmente, pode dificultar o diagnóstico, uma vez que por não sentir nada o paciente pode não procurar orientação médica. 

Então, como a SM é diagnosticada?

Vários critérios foram criados para fazer o diagnóstico. Todavia, segundo os adotados no Brasil, a Síndrome Metabólica ocorre quando estão presentes três dos cinco critérios abaixo:
  • Obesidade central - circunferência da cintura superior a 88 cm na mulher e 102 cm no homem;
  • Hipertensão arterial;
  • Glicemia alterada ou diagnóstico de Diabetes;
  • Triglicerídeos elevados;
  • Nível Alto de colesterol (LDL).

Há tratamento para a SM?

Sim, há tratamento. O principal e mais eficaz está na mudança dos hábitos de vida, com uma alimentação mais saudável, prática de exercício físico regular e, sobre tudo, com a perda de peso. Como os componentes da SM encontram-se interligados, a melhoria de um dos aspectos da Síndrome Metabólica pode levar a uma melhoria global de todo o quadro clínico.

Qual é a relação entre a SM e a obesidade?

A primeira indicação da síndrome é a obesidade, principalmente, a abdominal. Pesquisas alertam que na prática, quanto mais peso, menos saúde, justamente pela incidência maior desses fatores, que associados, caracterizam a SM e que geralmente são controladas com a perda de peso.

Há como tratar simultaneamente a obesidade e a SM?

Bom, como vimos, o principal tratamento para a SM é a perda de peso. Porém nos casos de pessoas que precisam perder uma grande quantidade de peso, a taxa de recidiva e o “efeito sanfona” são muito constantes, e poucos pacientes conseguem perder o peso necessário ou mesmo manter essa perda para ficarem realmente livres da obesidade e, por conseguinte, da SM. Por isso, a cirurgia bariátrica tem se mostrado eficaz em promover uma perda significativa e sustentada de peso nesses pacientes, o que resulta, na maioria das vezes, no controle da síndrome metabólica e das comorbidades (doenças associadas à obesidade que dificultam e/ou encurtam a vida do obeso).

Qual especialista devo consultar para tratar a SM?

Como a síndrome envolve uma série de complicações à saúde, o ideal é procurar ajuda médica, não apenas de um especialista, mas de uma equipe multiprofissional que possa orientá-lo de maneira geral. Com o tratamento sendo realizado em equipe, cada profissional será responsável por uma parte do tratamento, dentro da área que é especializado. Essa interdisciplinaridade demonstra, principalmente, que há cada vez mais uma preocupação com a saúde geral dos pacientes."

Então gente, vale lembrar que Síndrome metabólica não é Diabetes, se eu não cuidar muito bem desse quadro, posso sim evoluir pra essa doença, mas estou me cuidando, tomando o remedinho necessário, caprichando ainda mais na dieta e malhando por três.
E se você também está nessa situação, ou conhece alguém que malha, faz dietas e não emagrece, procure um médico, pois podemos reverter essa situação.


Share this:

CONVERSATION

1 comments:

  1. Olha Carlinha, que bom que tiveste esse cuidado de procurar um médico e tudo mais! Tem gente que só fecha a boca, faz exercício e depois desmaia não sabe porque.

    Vamos lá, estamos lutando a favor do peso ideal! (eu ao contrário de ti, mas enfim rs)

    Beijo!

    ReplyDelete

Obrigada por comentar, sua opinião é muito importante para mim.